15 fevereiro 2006

Agora
(revisitando)

Tuas palavras agora
Se transformam em gestos, sentidos, toques
Tua boca calada, agora me fala e me beija
Teus olhos perdidos, agora estão dentro dos meus
Tuas mãos entrelaçadas às minhas
Tua língua em mim
Teu sorriso no meu
Te reconheço em cada instante
Te reencontro a cada momento
E assim te resgatando em mim
É que me sinto inteira.

Nenhum comentário: