20 dezembro 2006

Aumento suspenso


Em Brasília ontem, em clima de protestos de estudantes e trabalhadores e toda uma mobilização da sociedade brasileira, o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu, através de liminar, o vergonhoso aumento com o qual os parlamentares haviam se presenteado e determinou que um novo reajuste não poderia ser dado pelas mesas diretora de Câmara e Senado, mas somente por votação em plenário.

Os deputados, atualmente, têm um salário de R$ 12.847,00 além de verba idenizatória de R$ 15 mil, auxílio-moradia de R$ 3 mil, correios e telefones R$ 4 mil, 4 passagens de ida e volta para seus estados de origem por mês e mais R$ 50 mil para gastos do Gabinete o que significa por ano uma bagatela de apenas R$ 1 milhão por deputado.

Os senadores, além do salário, têm direito a uma verba idenizatória de R$ 15 mil, auxílio-moradia de R$ 3,8 mil, 11 funcionários comissionados, com um total de R$ 72 mil em salários, 25 litros de combustível por dia com motorista, além das passagens aéreas.

Todas essas regalias, por enquanto, estão mantidas. Negado este, indiscutível, abuso no aumento dos salários agora podemos começar a pensar em rever tantas regalias. Abram o olho, ao invés dos bolsos, caros políticos, o Brasil já não é a casa da mãe Joana!

Foi bom começar o dia com estas novas notícias. Mais uma batalha vencida.
Bom dia a todos.

(por absoluta incompetência minha(confesso) aviso aos queridos leitores do Traduzir-se que este filminho acima só pode ser executado uma única vez... desculpem-me. Ainda aprendo isso... prometo!).

Nenhum comentário: