08 setembro 2010

Prefeitura do Recife Promove Leituras Dramáticas

As apresentações, que acontecem no Teatro de Santa Isabel, têm início com o comediante francês Christian Cloarec

O Teatro de Santa Isabel apresenta, no dia 8 de setembro, às 20h, a leitura dramática com o comediante Christian Cloarec. A atração faz parte das atividades formativas para comemorar os 160 anos do Teatro e é uma realização da Prefeitura do Recife em parceria com o Consulado da França e a Aliança Francesa. A entrada é franca.

Na ocasião, o ator Christian Cloarec interpretará em francês o texto Carta de Casablanca, do autor italiano, Antonio Tabucchi. É uma oportunidade para quem estuda a língua ou para aqueles que gostam de teatro, pois não existe barreira na arte. Cloarec é um ator conhecido na França e pertence a uma das companhias de teatro mais antigas do mundo, a Comédie-Française, criada em 1680.

Outras leituras dramáticas serão realizadas de 14 a 18 de setembro, às 18 horas, e no dia 19, às 16h30. Os textos inéditos no Recife são dos autores pernambucanos Newton Moreno, Adriano Marcena, Moisés Neto, Carlos Bartolomeu, Marcelino Freire e Luciano Pontes. As leituras dramáticas serão dirigidas por seis diretores da cena local que utilizarão o trabalho de veteranos atores. São eles: Cláudio Lira, André Filho, José Francisco, Wellington Júnior, Ana Japiá e Clara Camarotti. São cinco textos adultos e um infantil.

Lettre de Casablanca (Carta de Casablanca) - Com gravidade, elegância e discrição, narra a vida de um homem, Ettore, cuja infância foi destruída por um drama familiar. Separado de sua irmã caçula durante todos esses anos, ele decide, às vésperas de terminar o curso natural de sua existência, enviar a essa irmã uma carta onde conta o segredo de família, cujas consequências determinaram o seu destino.

Antonio Tabucchi - Grande escritor de sua geração, fascinado pela obra de Fernando Pessoa que traduziu integralmente em italiano, Antonio Tabucchi é muito próximo da literatura e da cultura de Portugal, onde se tornou cidadão de coração. Como fundador do Parlamento Internacional de Escritores, defendeu vários autores, como seu companheiro Adriane Sofi.

PROGRAMAÇÃO
LEITURAS DRAMÁTICAS - SINOPSES

Dia 14.9 – 18h – JACINTA
Texto Newton Moreno – Direção Cláudio Lira

É uma bem-humorada declaração de amor ao teatro. Conta a história de uma atriz portuguesa que se lança no Brasil ainda em formação em busca de reconhecimento. Apesar de sua completa falta de talento e sucessivos reveses em busca do aplauso, ela persevera e invade o começo da formação do país. Ainda que em forma de uma farsa, o texto trata de questões como dominação cultural, mas sua vocação é ser uma reverência aos que se dedicam à sua arte com absoluta paixão.


Dia 15.9 – 18h – DAMIANA
Texto: Adriano Marcena Direção: André Filho

Escrito tal-qualmente um bordado dramatúrgico, em que uma palavra liga a outra, Damiana aborda temas como machismo, violência contra a mulher e a banalização da violência contida no universo humano através da história do destino de dois homens simples, um lavrador (do agreste) e um feirante (da mata norte) de Pernambuco.


Dia 16.9 - 18h – BENTO
Texto: Moisés Neto Direção: José Francisco Filho

O judeu Bento Teixeira é autor do poema épico Prosopopeia (publicado em 1601, um ano após a morte do autor, trata da glória da família Albuquerque em Olinda e dá início à Literatura Barroca no Brasil). No final do século XVI, após assassinar a sua esposa, Bento é aprisionado pela Santa Inquisição por práticas judaicas. O texto aborda os últimos dias de Bento num cárcere em Lisboa. O autor inspirou-se no personagem Filipa Raposa nos moldes em que a recriou a escritora Luzilá Gonçalves Ferreira. O foco da peça se dá no tormento psicológico do assassino que, remoendo tantos horrores, delira e passa por severos interrogatórios. Um drama que envolve paixão e preconceito, bem nos moldes que marcam a dramaturgia do pernambucano Moisés Neto.


Dia 17.9 – 18h AS SUAS MÃOS ONDE ESTÃO? OU QUANDO AQUILES SANGROU
Texto: Carlos Bartolomeu Direção: Wellington Júnior

Alegoria da perda amorosa dentro de uma relação homo afetiva. Desfilando memórias e a possibilidade de um discurso romântico dentro da internet, dois personagens, um no presente e outro na Grécia antiga dialogam sobre a amorosidade, a impossibilidade do casal e a superação, no encontro com o ato de recordar.


Dia 18.9 – 18h – FAZER O QUÊ?
Texto: Marcelino Freire Direção: Ana Elizabeth Japiá

Uma mulher de 240 kg cai no meio da rua e não consegue se levantar. Fazer o quê? E com o velho, senil, que carece de cuidados de uma jovem enfermeira? Como fica a família? Fazer o quê? Com o sonho e a diarreia? Com o amor e a saudade? O quê? Muito mais do que dar respostas, Marcelino Freire, por meio de monólogos irônicos e afiados, apresenta as pessoas/personagens, nuas e cruas, que vêm atracar em nossos caminhos. Fazer o quê?


Dia 19.9 – 16h30 – AS TRAVESSURAS DE MANÉ GOSTOSO
Texto: Luciano Pontes Direção: Clara Camarotti

A trama da história é simples, como assim o é a das histórias de tradição oral, das improvisações do teatro popular e do teatro de mamulengo. Mané Gostoso é um anti-herói (nome reconhecido por ser também o nome de um brinquedo popular do Nordeste, feito de madeira com articulação). Mané é um mutreteiro, inventador de causos, que vive tranquilo sua vidinha até a chegada de um Forasteiro que o desafia. Na disputa, este acaba morrendo e Mané é levado à prisão. Depois de solto, recebe um tiro de um desconhecido e morre. Surgem O Anjo e o Diabo, que disputam a sua alma. Para se ver livre e continuar vivendo, Mané diz uma adivinhação, que nenhum dos dois adivinha. Assim, ele pode continuar livre, fazendo as suas travessuras, para alegria dos moradores de Boitiboia, onde se passa a história.

2 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Lili, linda, maravilhosa...
Sua amiga aqui esteve de cama (literalmente) por mais de 3 semanas e somente hoje volto a minhas atividades quase normais... :o)
Passo somente para deixar-te beijos, flores e um milhao de sorrisos!!!!

Carmem L Vilanova disse...

Lili, fofa... tem blogagem coletiva lá no Espaço Aberto até o dia 29-09, vamos?
Beijos... muitos!